Search
sábado 23 setembro 2017
  • :
  • :

Vinte três são presos pela Polícia Civil na 3ª Fase da Operação “Êxodo”


Nas primeiras horas desta terça-feira, 12, a Polícia Civil deflagrou a 3ª fase da Operação “Êxodo” na capital e em mais seis municípios: Tarauacá, Sena Madureira, Manoel Urbano, Bujari, Acrelândia e Senador Guiomard.
A operação da Delegacia de Combate ao Crime Organizado (DECCO) foi acompanhada pelo Ministério Público Estadual, através do GAECO (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), reuniu policiais do Departamento de Inteligência (DI) e da Divisão de Investigações Criminais (DIC).
Trata-se de uma investigação de cinco meses e executada com a participação direta de 80 agentes, 8 delegados, 6 escrivães de polícia com emprego de 20 viaturas. Na ocasião a polícia deu cumprimento a 44 mandados judiciais, sendo 28 de prisão e 16 de busca e apreensão.


Os alvos da polícia são pessoas investigadas pela prática de roubo, tráfico de droga, associação para o tráfico, associação criminosa, ataques a patrimônios e homicídios.
Vinte e três pessoas foram presas e foram tirados de circulação ativos criminais como: armas de fogo (1 pistola cal. 9 mm, 1 revólver cal. 38, 1 escopeta cal.16), droga (maconha e cocaína) munições de calibres variados( 38, 16, 9mm) contabilidade do crime, dinheiro, câmeras de vídeo monitoramento, computadores, celulares e pen drives.


A 1ª fase da operação foi realizada em setembro do ano passado, na ocasião, foram executados 82 mandados judiciais, a segunda foi realizada em abril deste ano e cumpriu 79 mandados.
“A operação ainda esta em andamento. São lideranças e executores de crimes, crimes de alto poder lesivo que foram colocados atrás das grades. Nós tivemos armas e drogas apreendidas, isso parece um discurso corriqueiro, velha cantilena. Na verdade, estamos fazendo isso rotineiramente. Veja essa união entre as forças policiais, Ministério Público e Poder Judiciário fazem com que se demostre claramente que organizado é o Estado democrático de direito”, destacou Emylson Farias, secretário de segurança.


O gestor da segurança pública disse ainda que organizadas são as instituições. Emylson Farias lembrou que a investigação continua e que outras fases virão quantas se fizeram necessário.
Já o promotor de justiça Bernardo Albano, enalteceu a atuação da Decco, no enfrentamento firme ao crime organizado. “A parceria com as instituições que promovem a Segurança Pública no Estado, tem sido reconhecida por outras instituições, sinalizando que estamos no caminho certo”, ponderou.
Carlos Flávio Portela, secretário de Polícia Civil, lembrou que a operação ocorreu de forma simultânea a em várias cidades, no baixo Acre, vale do Purus e em Rio Branco. Portela agradeceu a colaboração da sociedade e destacou que o numero 181 pode ser usado pela população para aproximar a polícia do cidadão. “A ligação é de graça, com preservação do sigilo e pode ser acessado por qualquer operadora”, disse.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *