Vereadores debatem violência na capital

Durante a sessão desta quarta (16) a Câmara de vereadores apresentou como um dos temas principais, o índice de violência pelo qual passa a capital. A vereadora Lene Petecão (PSD) utilizou a tribuna para questionar e apresentar seu repudio ao assalto a propriedade de sua mãe.

“Estamos absurdamente perplexos com essa violência que vem tomando conta da cidade. Não está longe e logo não poderemos sair mais de casa. Entraram em minha casa na semana passada e essa a de minha mãe. Gostaria que a mesa pedisse um relatório do comando da PM sobre o que está sendo feito” disse Lene.

A vereadora Roselane Sport (PRP) também utilizou seu tempo para reforçar que deveria ser oferecido a população os cursos de defesa pessoal e manuseio de arma de fogo.

“Em Minas o pai foi em busca do rapaz que estuprou sua filha e ele está certo em cortar suas mãos. A família é que deve proteger seus membros e o curso de como manusear as armas de fogo deveria ser gratuito. Vamos montar uma comissão e ir a Brasília cobrar” ressaltou Roselane.

O vice-presidente Raimundo Vaz (PR) também falou sobre o relatório e o índice de criminalidade.

“Rio Branco não se pode mais dormir de janelas abertas. Eu fui vitima, vereadora Lene, professor Roger e outros fomos vitimas dessa violência. Devemos reconhecer o esforço dos agentes nas ruas, mas não tem suporte necessário. Relatórios se formos observar será o mais eficiente, mas na realidade é totalmente diferente. A aplicação das leis devem vim de cima pra baixo” destacou Vaz.

Deixe o seu comentário!

Mais Lidas